Tesouro Direto – O que é e como você pode começar a investir

Se você está buscando entender o que é o Tesouro Direto, então fique comigo, pois, aqui nesse post, irei lhe falar tudo o que precisa saber sobre o tema para que possa definir se ele é o melhor investimento para você.

Boa leitura!

Como o Tesouro Direto funciona?

– Taxas e valores mínimos desse investimento:

Quando você decide investir no Tesouro Direto você está financiando alguma dívida do governo.

Assim, comprando um papel você garante o recebimento daquele empréstimo em um prazo, com uma determinada remuneração.

Além disso, o mínimo de investimento aqui é de R$ 30, o que torna esse investimento acessível para a grande parte dos investidores.

Qual é a rentabilidade do Tesouro Direto?

Os títulos prefixados e os híbridos, se você decidir tirar antes do prazo que o título vende, você pode ter prejuízo.

Isso acontece porque os ganhos deles são definidos por uma taxa, que tem flutuação diária e pode gerar oscilações no seu ganho.

– Liquidez:

A liquidez está ligada a velocidade e a facilidade que você tem de resgatar o seu dinheiro do investimento.

Em todos os títulos você pode retirar o dinheiro quando quiser, dependendo da característica do papel, como mencionei anteriormente, pode acontecer perdas.

A única exceção é o Tesouro Selic, que não impõe nenhum perda se for resgatado antes do prazo.

– Custos:

A taxa de custódia do Tesouro Direto é um valor pago pelo serviço da B3, que é ela que mantém a guarda dos títulos públicos e disponibiliza as informações e as movimentações de saldo para você.

A custódia equivale a 0,25% ao ano sobre o valor investido e essa cobrança acontece de maneira semestral.

Já a taxa de administração é a remuneração que a instituição financeira contratada por você, recebe.

Normalmente, muitas corretoras não compram esse valor, mas, você precisa avaliar.

Assim, veja essa situação no seu contrato.

– Tributação:

Os impostos que você vai precisar pegar nos investimentos é sempre regressivo, assim, quanto mais tempo você deixar o dinheiro, menos você vai pagar de Imposto de Renda.

A alíquota parte de 22,5% sobre o lucro em aplicações tirados em até 180 dias e o menor é 15% sobre o lucro que foi investido em investimentos.

Nesse caso, o investimento precisa ficar lá mais de 720 dias.

Além disso, se você decidir tirar o dinheiro antes de 30 dias, depois de comprados, você vai precisar também pagar o IOF.

É seguro emprestar dinheiro para o governo?

Não existe nenhum investimento sem risco, e mesmo que esse seja um título divulgado pelo governo, ele não deixa de existir.

Mas sim, investir em papéis públicos é muito seguro.

A parte boa é que o governo do Brasil jamais deu um colete em dívida interna, ou seja, ele nunca deixou de pagar os seus credores do Tesouro Direto.

É possível perder dinheiro com Tesouro Direto?

Existem duas maneiras de você perder dinheiro com o Tesouro Direto, que é:

  • Comprar título prefixado ou indexado à inflação por um prazo muito longo;
  • Precisar vender o título antes da hora.

Se você decidir tirar o dinheiro em um momento ruim de mercado, quando o título estiver em queda, ele pode estar valendo menos do que você pagou.

Já nos casos de prefixado de longo prazo, as mudanças bruscas na economia, como a inflação ou a taxa Selic, também podem corroer o dinheiro que ficou com você.

 

 

Depois desse post, tenho certeza de que você tem tudo o que precisa para definir se o Tesouro Direto é um estilo de investimento que te agrada.

Caso tenha ficado com alguma dúvida sobre o tema, deixe uma mensagem no espaço dos comentários para que eu possa lhe ajudar.

Grande abraço e te espero no meu próximo post.