Orçamento pessoal – Dicas de como você pode fazer o seu

Se você está buscando saber como fazer o seu orçamento pessoal, fique comigo até o final, pois, aqui irei falar para você o que você pode fazer para conseguir melhorar a sua situação financeira.

Boa leitura!

O que é um orçamento pessoal?

O orçamento pessoal é uma ferramenta que você registra a sua previsão de receitas e despesas durante um período.

Além disso, deve ser registrado o saldo da conta bancária e os investimentos, para que seja possível fazer um panorama da sua situação financeira.

O ideal é que esse orçamento seja o mais simples possível, objetivo e realista, deixando de lado as receitas extraordinárias.

Orçamento pessoal – Dicas de como você pode fazer o seu

#1 – Crie um controle para você:

A primeira coisa que você precisa fazer é criar um controle, discriminando todas as suas despesas e receitas.

Comece a registrar os números exatos de cada entrada e também de saída de dinheiro.

Quanto mais detalhes você puder dar e mais exatas forem as anotações, mais simples será entender como funciona as suas finanças.

#2 – Faça o uso de uma planilha para auxiliar:

É natural que, quando vai na prática, muitas pessoas desistem logo no início da jornada de foco para entender e anotar todas as suas despesas.

Mas, não tem jeito, para dar certo você vai precisar anotar tudo.

A parte boa é que hoje em dia a tecnologia tem ajudado muito quem deseja organizar as finanças.

Ou seja, você pode aproveitar aplicativos e planilhas para facilitar a sua vida e melhorar a sua relação com o dinheiro.

Assim, a partir delas, você pode:

  • Criar suas categorias de gastos;
  • Automatizar cálculos;
  • Fazer alguns resumos;
  • Criar gráficos.

Aproveitando os recursos você vai conseguir visualizar melhor para onde o seu dinheiro está indo.

#3 – Classifique os seus gastos:

Depois de você identificar bem cada uma de suas despesas, você pode classificar de acordo com a importância de cada uma.

Separe as essenciais, como:

  • Gastos que envolve a moradia como: Aluguel, prestação de imóvel e condomínio;
  • Impostos;
  • Contas de consumo como: Água, luz e gás;
  • Educação;
  • Saúde como: Planos e gastos com remédio;
  • Transporte;
  • Supermercado.

Depois enumere aqueles gastos que até são importantes, mas podem ser cortadas em casos de emergência.

Por último não deixe de anotar os gastos supérfluos.

#4 – Identifique as contas mais importantes:

Analise agora todas as despesas que são mesmo necessárias e a partir dessa análise, elimine as que não vão fazer falta e serão uma boa economia.

Ou seja, tudo o que não for necessário, deve ser cortado.

Se não for possível cortar nenhuma despesa do seu orçamento, avalie a chance de gastar menos.

Afinal de contas, para manter as suas finanças em dia é sempre bom fazer algumas concessões e mudar a rotina em nome de um bem maior.

#5 – Trace metas de economia:

Depois que você identificou os gastos supérfluos, calcule o custo mensal no seu orçamento e trace as metas para eliminá-los da sua rotina.

Quando você der esse passo, a maioria das pessoas já conseguem descobrir o que está impedindo de realizar os seus objetivos, que normalmente são os itens desnecessários.

Portanto, defina uma meta exata para o dinheiro que você consegue economizar eliminando aqueles custos desnecessários na sua rotina.

Assim, você não corre o risco de apenas substituir uma despesa por outro.

#6 – Orçamento pessoal – Crie a sua reserva de emergência:

Quando você cria o seu orçamento você consegue criar uma reserva de emergência, que já falei sobre ela, nesse post aqui.

Esse fundo, pode ser acionado em caso de gastos que não forem previstos, sem comprometer o seu salário.

O ideal é que você deixe esse dinheiro guardado em um investimentos que, pelo menos, mantenha o valor da inflação, para que você não perca na retirada.

Assim, será mais simples retirar uma parte quando precisar lidar com alguma despesa de emergência.

#7 – Acompanhe o seu planejamento:

Depois de chegar até aqui, chegou o momento de você acompanhar as receitas e as despesas do seu mês, todo final de período.

Assim, você poderá seguir na risca o seu planejamento.

 

 

Depois desse post, tenho certeza de que você está pronto para começar a criar o seu orçamento pessoal.

Caso tenha ficado com alguma dúvida, deixe uma mensagem no espaço dos comentários para que eu possa lhe ajudar.

Grande abraço e até o próximo post.